Já ouviu falar em deep face ou deep fake? É preciso ficar atento para não ser enganado, inclusive, nestas eleições

Já pensou em como agiria se visse um vídeo seu com falas contrárias ao que você defende ou acredita? Sim, isso é possível. Imagens com sons como se fossem reais são veiculados na internet. E pode ser feito com qualquer pessoa. É preciso ter muita atenção. Vídeos e áudios também precisam ser checados quando recebidos nas redes sociais e aplicativos de mensagens.

 

É isso o que os alunos do projeto Memórias em Rede alertam neste vídeo, o último da série de cindo, que faz parte da Campanha de Combate à Desinformação do Supremo Tribunal Federal (STF). As ações são do Instituto Devir Educom e têm a parceria da Rede Nacional de Combate à Desinformação (RNCD). Vale a pena ver!

 

Se você não assistiu aos vídeos anteriores, pode vê-los aqui:

Vídeo 1 - Apresentação

Vídeo 2 - Como identificar conteúdo falso

Vídeo 3 - Diferença entre desinformação e fake news

Vídeo 4 - Bolhas informacionais

Notícias
1/2
Nossos projetos

- PAPO [DE] #Educomunicação

- Educação Midiática

- Formação de professores

- (RE)Aproveitar

 

Esses são alguns projetos do Instituto Devir Educom

Nosso objetivo:

Levar os princípios da Educomunicação para escolas públicas e privadas e para espaços não-formais de aprendizagem, como forma de apoiar na formação de cidadãos responsáveis e contribuir para uma sociedade mais justa, democrática e igualitária.

1/0
1/6
1/0
1/0
1/0
1/0