top of page

Memórias em Rede inicia oficinas com 60 crianças e adolescentes acolhidos pela Casa Vó Benedita


Equipe do Instituto Devir educom reunida com os profissionais da Casa Vó Benedita após a reunião para discutir os processos relativos à nova parceria


Uma nova etapa começa neste semestre para o Instituto Devir Educom, representando outro avanço das atividades no 5° ano de sua existência: o projeto Memórias em Rede será iniciado na Casa Vó Benedita, instituição existente há 47 anos em Santos e que acolhe crianças e jovens até 17 anos de idade em creche e abrigo.


A ampliação do projeto para além das escolas públicas onde ele é desenvolvido desde 2018 foi possível graças a recursos do fundo municipal do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), em convênio assinado entre este órgão, Devir e Prefeitura de Santos.


Ao todo são 60 crianças e adolescentes contempladas, que participarão de oficinas que trabalham o jornalismo, a educação midiática e a tecnologia social da memória na perspectiva da Educomunicação, tal como ocorrem nas escolas públicas onde o projeto acontece semanalmente.



Formação do Círculo Memórias em Rede de Oficinas


O objetivo é contribuir com a formação dos participantes, propiciando espaços de expressão, exercício de cidadania, conscientização sobre o direito à comunicação e protagonismo. Eles terão oficinas de escrita criativa, fotografia, rádio, vídeo e mídias sociais ao longo de oito meses.


O projeto também oferece a formação Círculo Memórias em Rede de Oficinas para profissionais que atuam na Casa Vó Benedita. A parceria acontece como forma de subverter uma demanda social histórica, que é a desigualdade social, e a urgente e necessária alfabetização para as mídias, tendo em vista que as tecnologias digitais e os recursos da comunicação fazem parte da cultura contemporânea.



Jornalismo educativo


“Convivemos com a superabundância de informação e com o mercado da desinformação. Nosso intuito é contribuir, por meio do jornalismo educativo, com a redução das vulnerabilidades desses participantes, empoderando-os para que sejam fortalecidos pelo afeto e pelo trabalho coletivo, desenvolvendo responsabilidade social, pertencimento, consciência cidadã, coletiva e planetária”, afirma a gestora e educomunicadora Andressa Luzirão, cofundadora do Instituto Devir Educom.


No projeto são trabalhados aspectos como autoestima, memória afetiva, responsabilidade sobre o uso de mídias, a prática da escuta ativa e a valorização de si e do outro, tudo de forma lúdica, em um exercício político e social de brincar de ser jornalista. Com os recursos oriundos do edital, o projeto possibilitará a meninos e meninas exercerem a cidadania, se conscientizarem e valorizarem o direito à comunicação.



Aprendizado no contexto da realidade dos participantes


Conduzida pela Metodologia dos Círculos, criada pelo Devir Educom sob a inspiração dos Círculos de Cultura do educador Paulo Freire, a iniciativa trabalha nas perspectivas do Eu, da Escola, da Família e do Território. Visa um aprendizado significativo e contextualizado com a realidade dos participantes, de modo que sejam protagonistas na construção coletiva do conhecimento e que desenvolvam e/ou fortaleçam o senso de pertencimento por onde vivem e estudam.


O trabalho do Instituto Devir na Vó Benedita começa com um diagnóstico, montado a partir de questionário para identificar lacunas, adversidades e desafios a serem trabalhados nas unidades da instituição, bem como as potencialidades a serem fortalecidas. Em seguida, iniciam as oficinas com as crianças e adolescentes, que, desta vez, contarão com uma profissional de psicologia para apoiar em questões relacionadas a essa área.





42 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page