Setembro Amarelo: o papel da escola no combate ao suicídio e à automutilação

Esse foi o tema de nosso último Papo de Educomunicação


Você já se perguntou qual o papel da escola na luta contra a automutilação e o suicídio entre os jovens? O assunto é delicado, mas extremamente importante no contexto atual, afinal, se o problema já era evidente antes da pandemia, o quadro se agravou após meses de isolamento social.


Para refletir sobre o Setembro Amarelo no âmbito escolar, o Papo de #Educomunicação desta quinta (30) trouxe a professora Nadir Godoi, diretora da Escola Estadual Durval Evaristo dos Santos, localizada em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo. A educadora convive diariamente com o problema e nos mostra a importância do olhar atento da instituição de ensino.

Durante o Papo, tivemos exemplos reais de espectadores com filhos e que contaram com a ajuda da escola para identificar sinais preocupantes em suas crianças.


Nadir Godoi alertou para a necessidade da presença de um psicólogo dentro da instituição e de iniciativas que combatam a automutilação e o suicídio desses jovens. A escola Durval Evaristo dos Santos abraçou a causa e luta diariamente para a melhora deste quadro em nossas crianças! Um verdadeiro modelo de como a instituição de ensino é essencial como apoio emocional para os adolescentes!


Se você perdeu o Papo de #Educomunicação de Setembro, mas quer conhecer mais iniciativas da escola e entender melhor seu papel no combate ao suicídio e a automutilação, você pode acessar a live por aqui!



6 visualizações0 comentário