top of page

Povos Yanomami

Atualizado: 8 de fev. de 2023

Instituto Devir Educom apoia as ações em defesa dos indígenas e condenamos o garimpo ilegal



Foto: Fernando Frazão - Agência Brasil

O Brasil vive uma das piores crises humanitárias de sua história. E o Instituto Devir Educom não pode ficar alheio a essa calamidade. Por isso, defende as ações de autoridades de alguns ministérios, como da Saúde, da Causa Indígena, dos Direitos Humanos e da Justiça, assim como de instituições assistenciais e do povo brasileiro na ajuda aos necessitados com alimentos e demais produtos necessários à sobrevivência dos indígenas do Estado de Roraima. E se coloca contrário ao que levou a essa situação, ou seja, o garimpo ilegal e o descaso dos governos anteriores, que não impediram as mais de 570 mortes de crianças nesses últimos anos.


Combater o garimpo, oferecer tratamento médico adequado aos indígenas e resgatar o ecossistema é recuperar a memória e preservar a história do Brasil.

A situação dos povos Yanomami, com quadros graves de doenças como malária, pneumonia, desnutrição, além de contaminação por mercúrio, é ao mesmo tempo chocante, desesperadora e vergonhosa, inclusive sob o olhar de fora. Como pode um país com tantas riquezas naturais, com um território imenso e com a maior floresta tropical do mundo (A Amazônia possui uma extensão de 7,4 milhões de quilômetros) submeter seus povos originários a condições como as que estão vivendo os povos Yanomami? Eles não têm o que comer, não têm água para beber, perderam o direito à pesca nos rios da floresta, às plantações. Estiveram, nos últimos seis anos, sob o domínio do garimpo ilegal, cuja atividade já foi condenada pelo Supremo Tribunal Federal.


Os rios estão contaminados e condenados a desaparecerem, se uma ação forte não for feita rapidamente para sua recuperação. E isso, segundo informam especialistas às coberturas jornalísticas, deve demorar muitos anos. Com isso, o resultado dessa operação de recuperação dos povos Yanomami pode ser a transferência deles para outros lugares, o que demanda adaptação, ou seja, configura-se aí uma crise com precedentes gravíssimos.


Exército organiza os suprimentos para envio aos Yanomani.

Foto: Fernando Frazão - Agência Brasil


A tudo isso o Devir Educom é sensível e se coloca ao lado das instituições que defendem o combate a essa operação ilegal de garimpo e o resgate da população Yanomami. Há diversas organizações que estão fazendo a intermediação da ajuda, por meio da doação de alimentos, produtos de higiene, medicamentos e demais produtos e equipamentos necessários. Saiba como colaborar em www.paraquemdoar.com.br.


Ministra Sonia Guajajara discute estratégias de apoio aos Yanomani e combate ao garimpo ilegal. Foto: Fernando Frazão - Agência Brasil

8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page