top of page

Memórias em Rede é ampliado para mais duas escolas públicas de Santos



Devir Educom retoma parceria com a Fapetec para investimentos no projeto, que levará o jornalismo, a tecnologia social da memória e a educação midiática e em direitos humanos para as UMEs Mário de Almeida Alcântara e Cidade de Santos


No mês em que completa seis anos de existência, o Instituto Devir Educom comemora a ampliação do projeto Memórias em Rede para mais duas escolas públicas municipais de Santos, graças à retomada da parceria com a Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino, Tecnologia e Cultura (Fapetec), instituição com 20 anos de atuação em Santos e outras cidades brasileiras. Nesta semana, a iniciativa que leva o jornalismo brincante, a educação midiática, a educação em direitos humanos e a tecnologia social da memória será iniciada nas Unidades Municipais de Ensino (UMEs) Mário de Almeida Alcântara (bairro Valongo) e Cidade de Santos (Embaré). Serão 40 novos estudantes do Ensino Fundamental II participantes de ambas as escolas, que se somarão aos cerca de 70 crianças e adolescentes que já atuam no projeto nas escolas municipais Avelino da Paz Vieira e Vinte e Oito de Fevereiro, e na creche e abrigo da Casa Vó Benedita. 



Equipe do Instituto Devir Educom apresenta projeto Memórias em Rede aos alunos da UME Cidade de Santos.

O Memórias em Rede é ancorado na Educomunicação, campo teórico-prático de interface entre a Comunicação e a Educação, e busca, a partir das histórias de vida e das memórias afetivas dos estudantes, desenvolver o pensamento crítico e reflexivo em relação a temas sociais, ao consumo e ao uso responsável das mídias e das plataformas digitais; olhar criterioso para o combate à desinformação; senso de coletividade e consciência cidadã e planetária, contribuindo com a formação humana e ética dos alunos.  


As atividades do projeto nas novas escolas iniciam nesta próxima quarta-feira (12), na UME Cidade de Santos (das 16h15 às 17h45), com alunos de 7º ano, e na sexta-feira, na UME Mário de Almeida Alcântara (das 12h às 14h), com turmas de 7º e 8º anos. Ao longo do processo, na função de ‘repórteres’, os estudantes participarão de oficinas de escrita criativa, fotografia, rádio, vídeo e mídias sociais, debates, rodas de conversa, coletivas de imprensa e ações externas. 


“É uma alegria ver o reconhecimento do trabalho que nos possibilita levá-lo para mais escolas e construí-lo junto com os estudantes, valorizando os seus saberes já existentes. Utilizamos linguagens hipermidiáticas, problematizando as plataformas digitais, a mídia, os acontecimentos do contexto deles, visando desenvolver o pensamento crítico e reflexivo, para que se conscientizem de seu papel cidadão no mundo e sua corresponsabilidade na transformação de suas próprias realidades. O intuito é melhorar a comunicação dos participantes em sua dimensão ampla, o que engloba relações interpessoais mais horizontais, gentis e respeitosas”, afirma a presidente do Instituto Devir Educom, a educomunicadora e jornalista Andressa Luzirão, ressaltando que as duas novas escolas foram escolhidas por manifestarem interesse no trabalho do Devir Educom.   


O projeto compreende um diagnóstico inicial das unidades de ensino, fundamental para o planejamento das oficinas. “Esse trabalho nos ajuda a verificar as potencialidades e as fragilidades da comunidade escolar para que possamos contribuir com os desafios que precisam ser superados e explorar todas as potências existentes no que se refere aos aspectos humano, estrutural e espacial. A escola é local de encontro e acontecimento, e nela habitam atores sociais que contracenam e dialogam com seus pares e com os lugares desse espaço. Isso forma a identidade de cada comunidade escolar”, ressalta o antropólogo e sociólogo do Devir Educom, o professor Carlos Alexandre Guimarães.  



METODOLOGIA DO CÍRCULOS


O projeto utiliza-se de recursos das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICs) como canais de expressão e exercício de cidadania em diferentes linguagens, desenvolvendo consciência crítica e responsabilidade social nos alunos quanto ao uso e ao consumo responsável das distintas plataformas de mídia, entendendo-as como partes da cultura contemporânea. As oficinas trabalham, de forma lúdica, a técnica jornalística, com as funções relacionadas, como repórter, editor, pauteiro, fotógrafo, produtor e apresentador. 


Por meio do jornalismo cidadão, o projeto também leva os estudantes a ressignificarem suas histórias afetivas na relação direta e indireta com a cidade e seus mais distintos lugares, a começar pela escola. “Trabalhar em equipe, saber ouvir de forma qualificada, respeitar opiniões contrárias e diferenciar fake news de notícia também estão entre os aspectos que permeiam nosso trabalho, que atua, ainda, na perspectiva da comunicação na sua relação intrínseca com a saúde mental”, salienta a educomunicadora e também gestora do projeto, a jornalista Luana Magalhães. Para isso, o projeto conta, desde 2023, com uma profissional da área de psicologia alinhada às práticas educomunicativas.


Conduzido pela Metodologia dos Círculos, criada pelo Devir Educom, a iniciativa atua nas perspectivas do Eu, da Escola, da Família e do Território, visando um aprendizado significativo e contextualizado com a realidade dos estudantes, de modo que desenvolvam e/ou fortaleçam a autoestima, o senso de pertencimento por onde estudam e vivem, e tenham maior participação social. 

O objetivo é que as ações do projeto impactem cada escola como um todo, valorizando o conhecimento e a história das pessoas da comunidade escolar, fortalecendo a autoestima, o sentido de pertencimento, o desempenho escolar e o reconhecimento da importância da escola para a formação de valores e novas perspectivas de vida. De caráter contínuo, o projeto tem duração mínima de três semestres letivos e os participantes recebem certificado a cada final de ano. 



PARCERIA PROFÍCUA


A Fapetec já havia investido no projeto Memórias em Rede nos anos de 2021 e 2022, ocasião em que quatro escolas públicas de Santos foram contempladas com o projeto – as UMEs Avelino da Paz Vieira, Vinte e Oito de Fevereiro e José Bonifácio, com estudantes do Ensino Fundamental II e da Educação de Jovens e Adultos (EJA), e a escola estadual Zulmira Campos, com alunos do Ensino Médio. 


“Estamos felizes em fazer parte desta parceria com o Instituto Devir. O projeto Memórias em Rede é incrível e importante para os jovens adolescentes da rede de ensino de Santos, e estamos entusiasmados em contribuir para o desenvolvimento e a valorização das suas histórias e aprendizados”, afirma o gestor da Fapetec, Nilton Rodrigues.


Para a coordenadora pedagógica da UME Cidade de Santos, Rosiclei Alonso, a gestão escolar acredita no trabalho com projetos, que dão significado ao objeto de conhecimento. E o projeto Memórias em Rede, segundo ela, contribuirá para despertar nos alunos  maior interesse pela educação e a importância do trabalho em equipe. "Esperamos que em cada aluno, suas memórias e seus sonhos, se somem e que possam a partir dessa vivência planejar algo para o futuro".



DEVIR EDUCOM


Criado em junho de 2018, sob o pilar da Educomunicação, o Instituto atua em várias frentes e ações na educação formal e não formal, envolvendo crianças, jovens e adultos. Tem como objetivo contribuir com a construção de ecossistemas comunicativos mais horizontais, dialógicos e criativos no ambiente escolar e com processos de aprendizagem mais significativos nos distintos formatos de sala de aula, tão requeridos pela educação atual.


Entre suas ações, além do Memórias em Rede, o Instituto tem em seu escopo os projetos Círculo Memórias em Rede de Oficinas (formações na perspectiva da Educomunicação), Aspas de Moleque – Escutas Sensíveis da Infância e Papo de #Educomunicação (lives com especialistas).  






48 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page